Técnicos da Cesan falam sobre a crise hídrica na Escola Cedtec

 

Estudantes do curso de edificações do Centro de Educação Técnica (CEDTEC), na Serra, tiveram a oportunidade de conhecer um pouco mais do trabalho realizado pela Cesan, para amenizar a crise hídrica sofrida no estado. A palestra é parte do 10º Seminário dos Técnicos Industriais do Espírito Santo (10º SETEC), realizado na instituição.

 

A mesa de abertura foi composta pelo secretário geral do Sindicato dos Técnicos Industriais de Nível Médio do Espírito Santo (SINTEC-ES), Telmo Sodré, pelo diretor administrativo do CEDTEC, Marcos Antônio e o diretor da instituição Braz Pertel. Foi registrada a presença dos diretores do SINTEC-ES, Maciel de Aquino, Jefferson Cariati e do organizador do seminário Miguel Madeira.

 

Em seu discurso Pertel citou a parceria de longa data entre o as instituições, e ressaltou a importância dos estudantes conhecerem e participarem do sindicato que os representará durante a carreira profissional na área industrial. Braz também lembrou que no futuro a diretoria do sindicato precisará ser renovada e que terá orgulho de ver entre os novos membros ex-estudantes da escola.

 

Em seguida Telmo reforçou a importância de os estudantes participarem das atividades do SINTEC-ES, comentou as conquistas passadas e atuais dos trabalhadores e trabalhadoras graças à atuação do sindicato. Também lembrou dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), desenvolvidos pela ONU, e assinado pelo Brasil, entre eles destaca-se o objetivo 6 que é de assegurar a disponibilidade e gestão sustentável da água e saneamento para todos.

 

Ao iniciar a palestra o diretor de relações comunitárias da Cesan, Jonas Cabral, alertou para o momento grave pelo qual passa a população capixaba, reforçando que em todos os anos que está na instituição esta é a maior crise hídrica do estado – “Eu trabalho há 37 anos na Cesan e nunca vi um momento tão difícil como o de agora”, comentou Cabral.

 

Ao público presente Cabral reforçou a importância do saneamento básico, e que todos devem estar vigilantes para que os imóveis estejam ligados as redes de esgoto. Reforçou que à Cesan trabalha com prevenção e saúde através do tratamento da água que chega até a população e com o tratamento do esgoto e depósito adequado dos resíduos.

 

 

 

Em seguida o técnico da companhia, Wagner Veras, apresentou aos estudantes um pouco do trabalho realizado pela instituição nos 52 municípios em que possui outorga. Veras lembrou da importância da preservação das matas e nascentes para a sobrevivência dos rios, principalmente aqueles que abastecem a população. Foi apresentado as bacias hidrográficas no estado e o trabalho de captação nos rios Jucu e Santa Maria, responsáveis por abastecer as cidades de Serra e Vitória.

 

 

Quanto a crise hídrica, Veras apresentou o panorama da seca nos últimos 30 anos e os trabalhos desenvolvidos pela Cesan para que os capixabas não fiquem sem água. Entre as ações estão: o Projeto Reflorestar, que realizou o plantio de 6 mil hectares na zona rural, e trabalha para que mais 6 mil hectares sejam reconhecidos como área de preservação ambiental; com o apoio da Polícia Militar Ambiental a companhia monitora as irrigações das lavouras, que estão proibidas de serem feitas 24h por dia, o uso de produtos químicos que podem contaminar o lençol freático, e empresas que dispensam resíduos nos rios; construção da Estação Reis Magos, com 60% das obras concluídas irá abastecer a região no entorno de Serra Sede, a partir de março de 2017; Barragem Rio Jucu, o projeto ainda em desenvolvimento e com ele se estuda a criação de mais 68 barragens no interior do Estado.

 

Av. Nossa Senhora da Penha , 280, sala 204
Ed. Praia Center - CEP.: 29055-050
  • 27 3325-0598 | 27 3345-3005
  • 9h às 18h