VOCÊ ESTA LENDO Ação e Reação – Mobilização contra reforma no ES

Ação e Reação – Mobilização contra reforma no ES

Notícia postada em 01/08/2019

Sindicatos, Centrais e parlamentares capixabas se mobilizam contra aprovação da reforma da Previdência

“Será um dos mais duros golpes contra os direitos dos trabalhadores e também contra a democracia que conquistamos ao longo da História do Brasil”, diz Miguel Madeira, presidente do Sintec/ES.

Weslei, o Scooby e Miguel Madeira, juntamente com outros sindicalistas, se reuniram para debater e propor ações imediatas no sentido de tentar impedir que os deputados e deputadas federais que representam o Espírito Santo na Câmara Federal aprovem a reforma proposta pelo presidente Jair Bolsonaro, com o intuito ‘vil e cruel’ de acabar com direitos dos trabalhadores públicos e privados brasileiros, inclusive no que se refere aos que estão sujeitos a exposição de periculosidades e insalubridades – que praticamente perdem esses direitos.

Mobilização contínua é a palavra de ordem. Pretendem influenciar e sensibilizar o conjunto da sociedade brasileira para o grande desmonte dos direitos trabalhistas jamais visto no período Republicano do Brasil.  E esperar que haja reações populares contrárias, pois é certo que não só vai dificultar o acesso à aposentadoria, como também desmantelar todo o sistema previdenciário do Brasil. 

A PEC da reforma já foi aprovada no dia 10 deste mês, em primeiro turno na Câmara Federal, com 370 a favor e 131 contrários, dos quais 2 votos são da bancada do ES, dos deputados Hélder Salomão (PT) e Sérgio Vidigal (PDT).

Contrariando a maioria dos movimentos populares e sindicais, votaram a favor: Amaro Neto (PRB), Da Vitória (Cidadania), Evair de Melo (PP), Felipe Rigoni e Ted Conti (ambos do PSB), Lauriete (PL), Norma Ayub (DEM), e Soraya Manato (PSL). No início do mês de agosto a PEC passará por uma nova votação na Câmara, relativa às emendas e destaques, e mais outras duas no Senado antes de ser enviada ao Senado, por onde passará por mais duas votações. 

Mobilização e Ações

Primeiramente, um grupo de sindicalistas se reuniu com o deputado Sérgio Vidigal (PDT, em Jacaraípe, no dia 23 de julho, e depois com a deputada estadual Iriny Lopes (PT), e o deputado Hélder Salomão (PT), no dia 29 do mesmo mês, na sede do Sintec, em Vitória, os dois únicos deputados do Espírito Santo que votaram contrários à reforma, para debaterem sobre a questão e gravar um vídeo que será levado ao ar por meio das redes sociais com a participação dos sindicalistas. Apesar de ter confirmado presença, nesta última, Vidigal não compareceu, se justificou em função de agenda e confirmou estar junto nessa luta.

Entre outras o deputado Hélder Salomão avalia que com a reforma os mais prejudicados serão os trabalhadores e as pessoas idosas, e que os privilégios serão mantidos. “Torna-se mais difícil aposentar inclusive trabalhadores expostos a atividades consideradas insalubres e perigosas, até então passíveis de aposentadoria em regime especial, que praticamente perdem esse direito. Por isso, seguimos firme em defesa dos direitos da população, principalmente daqueles que se encontram em maior vulnerabilidade, como é o caso da categoria dos professores e trabalhadores rurais”, afirma o deputado. Além dessas categorias, outras correm o mesmo perigo, como os trabalhadores da indústria metalmecânica, construção civil, geração e transmissão de energia, mineração, transporte ferroviário/rodoviário/marítimo, saúde, enfim todas as atividades expostas a agentes químicos, biológicos, temperatura e ruído, como por exemplo, os empregados da Vale, Suzano Celulose, EDP Escelsa, ArceloMittal Tubarão, Petrobrás, Estaleiro Jurong entre outras grandes indústrias que operam no Espírito Santo. 

Participaram da gravação os representantes do Sintec/ES: Miguel Madeira, Carlos Demétrius, Telmo Sodré, Dionísio Carvalho, Anderson Pandolfi, e Kepler Daniel; Ben-Hur, do Sindicato dos Advogados; Paulo Peres – o “Carioca”, do Sintraconst; Clemilde Pereira, da CUT-ES; Ernani Pinto e Jovino Dallapicola, do Supot-ES; Nildo Mendonça, do Sindaema; Luiz Augusto, do Grêmio Rui Barbosa, IFES-Vitória; Artur Sapão, do Sinticel-ES; Polyana Menezes, Simone Silva, Samuel Reis, e Elifas Madeira, do Sindalimentação; Henrique Zimmer, da Senge-ES; Weslei ‘Scooby’, do Movimento Ferroviário, e Sandra Bortolon do Dieese.

“Só com muita mobilização trabalhadores não perdem direitos com a “reforma da Previdência”

O deputado federal Sérgio Vidigal (PDT/ES) recebeu no dia 23 de julho um grupo de sindicalistas em seu escritório, em Jacaraípe, para esclarecer, a pedido destes, sobre as mudanças já aprovadas em primeiro turno conforme proposto pelo governo do presidente Jair Bolsonaro na PEC (Projeto de Emenda Constitucional) que altera o sistema previdenciário do Brasil.

A reunião contou com as presenças do advogado Ben-Hur, assessor jurídico do Sintec/ES; Joaquim Artur – o ‘Sapão’, presidente do Sinticel/ES – empregado da Suzano Aracruz; Jefferson, diretor jurídico do Sintec/ES – empregado da EDP – Escelsa; Dionísio, diretor Comunicação Sintec/ES – professor do Senai; Weslei – o ‘Scooby’, liderança dos ferroviários – empregado da Vale; Miguel Madeira, presidente Sintec/ES – aposentado da ArcelorMittal Tubarão; Aloir, diretor comunicação Sinticel – empregado da Suzano Aracruz; e Demétrius, conselheiro fiscal do Sintec/ES – aposentado da ArcelorMittal Tubarão.

Indagado pelos sindicalistas, Vidigal avalia que só com muita mobilização os trabalhadores poderão conseguir manter os direitos conquistados e se disse engajado na luta dos trabalhadores.