VOCÊ ESTA LENDO Afrouxamento do isolamento social no ES causa protesto de sindicatos de trabalhadores e ONG’s

Afrouxamento do isolamento social no ES causa protesto de sindicatos de trabalhadores e ONG’s

Notícia postada em 09/06/2020

Afrouxamento do isolamento social no ES causa protesto de sindicatos de trabalhadores e ONG’s

A manifestação aconteceu nesta terça-feira, dia 9 de junho, em frente ao Palácio Anchieta, sede do Governo Estadual, e Palácio da Fonte Grande, onde representantes de entidades protocolaram documento endereçado ao governador Renato Casagrande (PSB) contra o afrouxamento. Os manifestantes fincaram cruzes em frente ao Palácio Anchieta, representando as vítimas da Covid-19 no Estado.
Representando o Sintec/ES – Sindicato dos Técnicos Industriais do ES, Weslei Scooby e Hector Scarpati reafirmaram o compromisso da instituição no apoio à manutenção do isolamento social, como única forma de evitar mortes dos cidadãos e cidadãos, principalmente os mais pobres, que têm muito mais dificuldades de acesso aos testes que comprovam ou não a Covid-19.
O protesto contou com a participação de representantes de sindicatos, partidos políticos e movimentos sociais contrários ao afrouxamento das medidas de isolamento social do Governo Renato Casagrande (PSB) na pandemia do coronavírus, além de também criticarem o Governo Bolsonaro, quando denunciaram as 871 mortes por Covid-19 no Espírito Santo, registradas até essa segunda-feira (8).
“Depois, nos dirigimos para o Palácio da Fonte Grande, onde protocolamos um manifesto com pedido de audiência e um conjunto de reivindicações assinado por 24 entidades”, revelaram os sindicalistas do Sintec.
“Insistimos na necessidade de discussão sobre a aplicação do lockdown nos municípios com alto grau de contaminação; complementação do auxílio emergencial do Governo Federal a até um salário mínimo; que o Governo do Estado assuma o pagamento dos salários dos funcionários das micro e pequenas empresas durante a pandemia; funcionamento somente dos serviços essenciais em locais de risco baixo ou moderado; e garantia de participação de representante dos trabalhadores e da sociedade civil no gabinete de crise da Covid-19”, disseram.
Segundo analisam alguns críticos do afrouxamento neste momento de franca ascensão da pandemia no Estado e no Brasil, o governador não suportou a pressão dos empresários, comerciantes e industriais, e acabou optando por salvar a economia e a população está sem saber o que fazer de fato, porque o governo impossibilitou na prática o isolamento ao permitir a abertura do comércio e da indústria. O governador capixaba acabou adotando a política genocida de Bolsonaro depois de um período inicial em que ele criticava o presidente, e agora vai contra as recomendações da Organização Mundial da Saúde – OMS.
Além das 871 mortes por Covid-19, foram contabilizados 20.659 casos. As consequências da reabertura do comércio são visíveis nas estatísticas, com aumento de mais 1.000% nas contaminações e de 700% nas mortes. Mesmo assim, o governo cedeu à pressão das elites empresariais e decidiu afrouxar prematuramente as medidas de isolamento, com a curva da doença ascendente e se espalhando assustadoramente pelo interior.
Assinam o documento o Conselho Regional de Serviço Social do Espírito Santo (CRESS-ES), Intersindical – Central da Classe Trabalhadora, Centro de Defesa dos Direitos Humanos da Serra (CDDH), Sindicato dos Trabalhadores da Universidade Federal do Espírito Santo (Sintufes), Círculo Palmarino, União de Negros pela Igualdade (Unegro), Sindicato dos Bancários/ES, Centro de Defesa dos Direitos Humanos da Serra (CDDH) e Movimento Nacional de Direitos Humanos – ES, Coletivo Resistência e Luta da Educação, Ação Popular Socialista (APS), Pajeú, Sindicato dos Técnicos Industriais do ES (Sintec), Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Colatina (SISPMC), CSP Conlutas, Sindicato dos Ferroviários, Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Federais em Saúde, Trabalho e Previdência Social no Estado (Sindiprev), Coletivo Lute ES, Coletivo de Mulheres Dona Astrogilda, Núcleo Capixaba da Auditoria Cidadã, Sindicato dos Servidores Públicos de Aracruz, Sindicato Nacional dos Servidores Federais da Educação Básica, Profissional e Tecnológica (Sinasefe-ES), Psol, PSTU e PCB.
Fotos: Sérgio Cardoso.

FACEBOOK

FAÇA PARTE

FENTEC
CUT
CFT

SINDICALIZE-SE